Como sempre disse minha mãe, para vermos as coisas temos que sair de casa. Alguns simples minutos ao ar livre podem ser o suficiente para fazer com que testemunhemos algo curioso e intrigante e que pode render uma boa hitória, como aconteceu comigo algumas semanas atrás em Juquitiba. Estava com meus pais,  irmão e cachorrinha rumo a cidade para uma reunião de família na chácara da minha tia. Como a tal chácara fica distante da cidade, sendo necessário atravessar uma boa parte de estrada de terra e para não nos perdemos no caminho (pois naquela região não pega internet ou celular), paramos numa padaria a beira da estrada para aguardar a chegada de meus primos, que conheciam melhor o caminho. Acontece que bem ao lado dessa padaria havia uma loja de produtos de jardinagem e animais de estimação, assim como patos, galinhas e perus prontos para serem vendidos.

Para uma paulistana como eu, a visão de tantas aves em jaulinhas, como cachorros e gatos em feiras de adoção, era um tanto hilária, então fui bisbilhotar pela loja e ver o que mais havia ali de interessante.  Além dos animais nas jaulas, havia alguns outros soltos que ficavam ciscando pelo chão, sem se importar com a movimentação das pessoas.  Conversando com a vendedora, descobri que um patinho ou pintinho custa 5 reais, a pata adulta é vendida por 20 e o macho, por 30. Além disso a vendedora também se dispunha a comprar outros animais, adultos, filhotes ou mesmo ovos.  Meu irmão corria pela loja todo empolgado, meu pai despejava seu conhecimento de garoto rural enquanto minha mãe se afastou do lugar por causa do cheiro e para segurar a cachorra, que estava louca para “brincar” com as galinhas. Mas nada poderia nos preparar para o que viria a seguir.

Um senhor de uns 40 anos chegou na loja pronto para comprar dois patos. Olhou, olhou e escolheu dois que lhe pareciam promissores; um macho e uma fêmea. A vendedora, prestativa, rapidamente preparou-se para pegar os animais com uma rede parecida com uma rede de pegarcapturar borboletas. Sim, isso mesmo, daquelas que o Bob Esponja usa para caçar águas-vivas.  Ela chegou na grade, olhou bem, confirmou “é aquele?”, “é sim”, responde o comprador, e então, zuum. Ela pesca o pato com a rede e depois o pega pelas asas e pelos pés, mostra-o ao comprador com a mesma força de expressão que os koreanos das lojinhas de tecnologia ao apresentarem um novo produto chinês falando  “é bom, bom produto, vai levá, né?”. O cliente acena com a cabeça e segura o pato. Em segundos a mulher pesca o outro alvo (não me perguntem qual era macho e qual era fêmea, sou muito leiga na sexologia dos patos).

Com os dois animais em mãos, a vendedora se arma agora de uma sacola de pano, dessas grandes, faz um furo em cada canto por onde enfia com movimentos treinados a cabeça dos patos, terminando por amarrar os pés dos patos junto à boca da sacola em um único nó, encerrando a obra prima. Pronto! Praticamente um emburlho de presente natalino.  Eu já não sabia de se ria mais da situação toda ou da cara de susto da senhora minha mãe quando vem a grande cereja do bolo:  o satisfeito cliente pega seu embrulho, anda até seu carro e, sem cerimônia alguma, despeja os dois patos no porta-malas. Se eu soubesse que era tão simples assim comprar patos poderia ter comprado alguns antes! Mas eu estava tão chocada com aquela cena toda que nem lembrei de tirar o celular do bolso para fazer uma foto.

Mas não só de patos se faz essa história que conto para vocês através da nossa belíssima rede de comunicação, e falando nela, assim que saia do estacionamento o orgulhoso comprador de patos, chega a própria comunicação móvel na forma de uma motocicleta. Coisas fantásticas de serem vistas em Juquitiba.

E a Bela se divertiu tanto correndo atrás das galinhas que dormiu como um anjinho depois.

Anúncios

Sobre yolanda

Jornalista, estudante de Ciências Sociais, viciada em tecnologia e novas mídias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s